Agência Nacional do Cinema
Campanha O audiovisual brasileiro é o Brasil assistindo ao Brasil
Tamanho da letra
  • botão de diminuição de letra
  • botão para letra voltar ao tamanho normal
  • botão para aumento de letra
Translate traduzir ImprimirImprimir 06/07/2017 17:48

Programa Encontros com o Cinema Brasileiro recebe diretor do Festival de Havana

Representante veio ao Brasil para assistir a produções selecionadas no Programa Encontros com o Cinema Brasileiro

Preview
Ampliar
O diretor Ivan Giroud na Sala Gustavo Dahl, onde assistiu a sessões exclusivas de longas brasileiros independentes

O diretor do Festival Internacional do Novo Cinema Latino-americano – o Festival de Havana –, Ivan Giroud, esteve no Rio de Janeiro entre os dias 4 e 6 de julho para assistir em sessões exclusivas na Cinemateca do MAM e na Sala Gustavo Dahl, auditório do Escritório da ANCINE, aos filmes selecionados na 23ª edição dos Encontros com o Cinema Brasileiro.

 

Entre as sessões, Giroud comentou seu interesse nas produções brasileiras. Segundo ele, o cinema brasileiro é uma das mais importantes cinematografias da América Latina. O diretor falou ainda sobre um formato específico que vem chamando sua atenção: “Vejo que os documentaristas estão fazendo um trabalho muito interessante a respeito da construção da memória histórica em temas gerais, mas também especificamente me chamou atenção a reflexão direta sobre o presente e o que está acontecendo no Brasil”

 

A escolha dos filmes foi feita a partir dos teasers e informações fornecidas pelos produtores nas inscrições do Programa para fazer a seleção. Três entre os filmes selecionados são de produtoras associadas ao Programa Cinema do Brasil, parceiro institucional dos Encontros.

 

Foram exibidos os filmes: "Aquilo que sobra", de Humberto Giancristofaro; "Aurora 1964", de Diego Di Niglio; "Dedo na ferida", de Sílvio Tendler; "Espólio da cidade", de Paulo Murilo Abreu e André Turazzi; "Esquerda em transe", de Renato Tapajós; "Música para quando as luzes se apagam", de Ismael Caneppele; "Onde quer que você esteja", de Bel Bechara e Sandro Serpa; "Sem raiz", de Renan Rovida; "Slam: o melhor poeta nunca vence", de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D'alva; "Susana", de Giovanna Giovanini e Rodrigo Boecker; "Todas as razões para esquecer", de Pedro Coutinho; "Unicórnio", de Eduardo Nunes; e "Zélia. Memórias de amor", de Carla Laudari.

 

Como funcionam os Encontros com o Cinema Brasileiro

 

O Programa Encontros com o Cinema Brasileiro é uma iniciativa da ANCINE, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), e com o apoio do Programa Cinema do Brasil, com o objetivo de aumentar a visibilidade do nosso cinema no mercado internacional, investindo na aproximação das relações com os curadores dos principais festivais do mundo. O Programa foi planejado levando em conta o calendário de realização dos festivais, aumentando as chances de participação dos filmes brasileiros.

 

A participação dos festivais em cada etapa do programa é definida levando em conta o calendário de cada um, para que os encontros aconteçam no período em que está efetivamente sendo feita a escolha dos filmes que integrarão sua programação. Em edições anteriores, já vieram ao Brasil curadores de festivais internacionais de cinema como os de Cannes, Veneza, Locarno, Toronto, Roterdã, Berlim, BAFICI, Sundance e Roma.

 

Formulário de busca

Plano de Diretrizes e Metas

  • Conselho Superior do Cinema

Mapa de Mostras e Festivais

Mapa de Complexos Cinematográficos

Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual

Dados e análises técnicas sobre o mercado audiovisual brasileiro
 

Fundo Setorial do Audiovisual

Fundo destinado ao desenvolvimento da cadeia produtiva do audiovisual
 

Cinema Perto de Você

O programa que está levando mais cinemas para mais brasileiros
 

Carta de Serviços

Informa a sociedade sobre os serviços prestados pela Agência
 
 
OIA
CACI
Acesso à Informação
 
Ícone Webmail Webmail Ícone Mapa Mapa do site SEI
Agência Nacional do Cinema - Ministério da Cultura - Governo Federal